AmiRCo lança 10º volume da Coleção Lageana

AmiRCo lança o 10º livro da Coleção Lageana: "A política em municípios dos Campos das Vertentes", do jornalista José Venâncio de Resende.

No dia 9 de abril último, foi lançado em Resende Costa o 10º volume da Coleção Lageana – um projeto editorial da amiRCo (Associação dos Amigos da Cultura de Resende Costa), com patrocínio do Fundo Estadual de Cultura (FEC). O livro “A Política em municípios dos Campos das Vertentes” é de autoria do jornalista e escritor José Venâncio de Resende e trata-se de uma coletânea de 16 reportagens sobre a vida política de municípios dos Campos das Vertentes, publicadas no Jornal das Lajes entre junho de 2011 e setembro de 2013. O lançamento aconteceu no Teatro Municipal e contou com a presença de membros do Jornal das Lajes e da amiRCo, autoridades municipais de Resende Costa e região, visitantes de outros municípios, além de familiares e amigos do autor.

Em entrevista ao JL, José Venâncio falou sobre o seu trabalho. “Um trabalho baseado principalmente em depoimentos, já que livros e documentos sobre política municipal são raros. Além de aspectos como a intensa participação de padres na política partidária, a disputa entre famílias tradicionais, nomes engraçados de correntes políticas, a disputa territorial por eleitores entre os grupos políticos liderados por Tancredo Neves (PSD) e os Andrada (UDN) e a interferência na política de grandes empresas instaladas na região”. O autor destaca a predominância do bipartidarismo, primeiro com PSD e UDN, depois com ARENA e MDB, substituídos por PMDB e PDS/PFL. “Com o fim da ditadura militar e o início da Nova República, houve um aumento do número de partidos”, ressalta Venâncio.A cerimônia de lançamento foi conduzida pelo professor e colunista do JL, José Antônio de Oliveira Resende, e teve como integrantes da mesa Rosalvo Gonçalves Pinto (presidente da amiRCo), Aurélio Suenes de Resende (prefeito municipal de Resende Costa), Guilherme Jorge de Rezende (autor do prefácio do livro), André Eustáquio Melo de Oliveira (editor-chefe do Jornal das Lajes) e o autor José Venâncio de Resende. Em sua fala, Guilherme elogiou o “brilhante trabalho que a amiRCo e o Jornal das Lajes vêm realizando em Resende Costa”.

Venâncio falou da emoção de lançar um livro em sua terra natal: “Foi como se fosse a primeira vez, aquela ansiedade, aquele nervosismo típicos... Fiquei muito emocionado com a presença dos meus conterrâneos,  da comitiva da Academia de Letras de São João del-Rei, do pessoal de Lagoa Dourada, do prefeito de Coronel Xavier Chaves... Gostaria de salientar a ousadia da AmiRCo em fazer esse lançamento pouco mais de um mês depois do lançamento do excelente livro “Retratos da Centenária Resende Costa” que despertou muito interesse local. Um motivo a mais de satisfação pra mim porque, mesmo nestas circunstâncias desfavoráveis, o nosso evento foi muito prestigiado”.

Falando em lançamento, o presidente da amiRCo, Rosalvo Pinto, confirmou o próximo livro da Coleção Lageana a ser lançado, provavelmente no dia 4 de junho. “O título e o autor do livro ainda é surpresa”, disse Rosalvo.

Um vigoroso trabalho jornalístico

As 16 reportagens que integraram a série “Política Regional”, publicadas no Jornal das Lajes e transformadas em livro, são fruto de um vigoroso trabalho jornalístico empreendido por José Venâncio de Resende. Percorrer os municípios, encontrar fontes, garimpar informações, dar voz às pessoas. Venâncio cumpriu com perfeição o trabalho de um bom e dedicado jornalista, que exerce seu ofício com desprendimento e motivação vocacional. A série marcou ainda a guinada regional do Jornal das Lajes, que hoje é reconhecido em cidades da região das Vertentes como importante veículo de comunicação.

Diante do conturbado momento político pelo qual o país está passando, o novo livro de José Venâncio é um convite à reflexão sobre o atual cenário político partidário brasileiro. “Chama a atenção o quadro partidário enxuto dos municípios abordados neste livro - mesmo com a Nova República, dificilmente passam de quatro ou cinco partidos – em contraposição ao sistema partidário nacional caótico – mais de 30 partidos, podendo ultrapassar os 100 se todos os novos pedidos forem aceitos. Este quadro partidário nacional torna o Brasil ingovernável, sendo fonte permanente de corrupção e de crise após crise”, critica o autor.

O livro levou o autor a refletir sobre o atual modelo eleitoral brasileiro: “Este trabalho aumentou a minha convicção em favor do voto distrital, que não apenas aproximaria deputados de seus eleitores – como aliás já ocorre com prefeitos e vereadores – como também reduziria o número de partidos para o mesmo padrão municipal e também os custos de campanha, atualmente muito elevados”. Porém, Venâncio é pessimista em relação a uma profunda e “radical” reforma política proposta pelo Congresso Nacional: “O problema é que o Congresso Nacional jamais fará uma reforma política que contemple o voto distrital, porque não é do interesse dos parlamentares. Acredito que só com uma Constituinte autônoma formada por especialistas”.